Um e-book para continuar dizendo “Sim à vida”.

Estão on-line, a partir de hoje, os trabalhos da Conferência promovida um ano atrás pelo Dicastério para Leigos, a Família e a Vida, em colaboração com a Fundação “O coração numa gota” e com o apoio dos Cavaleiros de Colombo. Uma ocasião para reviver histórias, testemunhos, contribuições internacionais de famílias e especialistas sobre o tema da defesa da vida humana nascente em condições de extrema fragilidade.

Dar voz à cultura da esperança alimentada pelos progressos da medicina, com especial atenção ao campo dos cuidados perinatais, como alternativa à cultura eugenética seletiva que muitas vezes assume o domínio no âmbito do diagnóstico perinatal. Com esse objetivo, foi realizada há um ano, em Roma, a conferência internacional sobre os cuidados com a vida dos nascituros em fragilidade. Encontro que reuniu cerca de 400 pessoas de 70 países no Instituto Patrístico Augustinianum, com o envolvimento de médicos e especialistas em atendimento perinatal e psicologia familiar.


Hoje, um ano depois, on-line, está disponível gratuitamente no site do Dicastério para os Leigos, a Família e a Vida e no site da Livraria Editora Vaticana (https://www.vaticannews.va/it/lev.html), o e-book que reúne os trabalhos daqueles dias intitulado: “Sim à vida! Cuidar do dom precioso da vida em fragilidade”. 


Naquele “momento intenso de formação e informação para as famílias”, conforme o secretário do Dicastério, padre Alexandre Awi Mello define no prefácio, o Papa também deu sua grande contribuição, recebendo em audiência os participantes em 25 de maio de 2019. Aquele discurso em que Francisco ressaltou o valor da vida em todos os momentos e recomendou “ações pastorais mais incisivas” para apoiar aqueles que acolhem filhos doentes, é relatado na abertura do e-book:


“Nenhum ser humano pode ser incompatível com a vida, nem pela idade, nem pelas condições de saúde, nem pela qualidade de sua existência. Toda criança que se anuncia no ventre de uma mulher é um dom, que muda a história de uma família: de um pai e de uma mãe, dos avós e dos irmãos. Essa criança precisa ser acolhida, amada e cuidada. Sempre!, diz o Papa.”


Depois, fazendo referência à cultura do descarte, ele reiterou:


“A vida humana é sagrada e inviolável e o uso do diagnóstico pré-natal para fins seletivos deve ser fortemente desencorajado, pois é a expressão de uma mentalidade eugenética desumana, que tira das famílias a possibilidade de acolher, abraçar e amar seus filhos mais vulneráveis.”


Depois da abertura, dedicada ao Pontífice, seguem no e-book a introdução do prefeito do Dicastério, cardeal Kevin Farrell, e todas os discursos e testemunhos na língua em que foram pronunciados.  


Para a ocasião, o Dicastério também preparou um pequeno vídeo que ajuda a reviver as partes mais importantes da iniciativa que, explica a subsecretária do Dicastério, Gabriella Gambino, “continua tendo ressonância em diferentes partes do mundo, através de iniciativas de formação semelhantes, acompanhamento e assistência, mas também se concretizando na ativação de novos centros de assistência perinatal”.

 
Indique a um amigo
 
 
Notícias relacionadas