11 de setembro: conheça a história do pedaço da Bíblia fundido aos escombros

Há 16 anos, um bombeiro encontrou um fragmento da Bíblia que ficou incrustado em um pedaço de aço fundido dos escombros do ataque terrorista de 11 de setembro sobre o World Trade Center em Nova York, um dia escuro para a história da humanidade como qualificou João Paulo II.

Em 30 de março de 2002, enquanto os escombros do World Trade Center foram sendo retirados, um bombeiro encontrou o fragmento da Bíblia literalmente “incorporado” a um pedaço de aço e chamou um fotógrafo que estava por ali.

O fotógrafo Joel Meyerowitz quando viu o achado, ficou surpreso ao ver que a página que ficou incrustada no aço derretido era a passagem do Sermão da Montanha, em que Jesus disse: "Ouvistes que foi dito: 'Olho por olho e dente por dente. Mas eu digo a você: não resista ao maligno. Em vez disso, se alguém lhe bater na face direita, ofereça a outra também".

Depois de um tempo, o fotógrafo entregou esta peça ao Museu do Memorial do 11 de setembro em Nova York, onde ainda pode ser visto pelos visitantes.

"Este pedaço da bíblia, queimado e coberto de detritos veio a mim nas mãos amorosas de um bombeiro que sabia que eu era o guardião do ground zero", Meyerowitz disse através de um e-mail enviado em 2015 da Itália.

"Meu espanto com a página da Bíblia que estava aberta me fez perceber que a mensagem da Bíblia sobrevive através do tempo e cada época deve interpretar seus ensinamentos segundo as necessidades da ocasião", disse ele.


Os ataques

Em 11 de setembro de 2001, o grupo terrorista Al Qaeda sequestrou quatro aeronaves comerciais nos Estados Unidos. Dois deles colidiram com as Torres Gêmeas no World Trade Center, causando a destruição completa desses edifícios.

Os terroristas sequestraram mais dois aviões, um dos quais atingiu uma das paredes do Pentágono na Virgínia e o outro caiu em campo aberto quando terroristas tentavam conduzir a aeronave para colidir contra a Casa Branca, em Washington DC.

Nos ataques, cerca de três mil pessoas morreram e outras seis mil ficaram feridas.

O local onde as Torres Gêmeas ficavam foi rebatizado como Ground Zero, ou Marco Zero, um nome que no linguajar da arquitetura designa o local onde se inicia o projeto de toda uma cidade. O Papa Bento XVI visitou o local em abril de 2008 para rezar pelas vítimas desta tragédia.

Em 25 de setembro de 2015, o Papa Francisco também foi ao memorial durante sua visita apostólica aos Estados Unidos.

"Este é um lugar onde nós choramos, choramos a dor que gera sentir a impotência contra a injustiça, contra o fratricídio, frente à incapacidade de resolver nossas diferenças com o diálogo", disse o Pontífice.

 
Indique a um amigo
 
 
Notícias relacionadas