Festa de Guadalupe: Maria é mãe e é mestiça.

O Papa Francisco celebrou na tarde desta quinta-feira, na Basílica de São Pedro a Santa Missa por ocasião da festa de Nossa Senhora de Guadalupe. “Trata-se de uma festa muito amada pelo Papa Francisco e particularmente evocativa para os latino-americanos”. Concelebraram com o Santo Padre entre outros, o cardeal Marc Ouellet.

Maria: mulher, mãe e mestiça. O Papa Francisco, celebrando a Santa Missa no final da tarde desta quinta-feira na Basílica Vaticana pela padroeira da América Latina na Festa Litúrgica de Nossa Senhora de Guadalupe fez uma reflexão sobre a figura de Maria.

Maria, disse em sua homilia em espanhol, sem texto, é "mulher", "mãe" e "mestiça". Ela se mestiçou para ser uma só com a humanidade, Maria mãe que consegue fazer esta mestiçagem com Deus, verdadeiro Deus e verdadeiro homem."

Francisco adverte: "Quando nos contam histórias, não devemos nos perder atrás de bobagens, Maria é mãe, mãe do seu Filho e da Santa Mãe Igreja hierárquica, e é mestiça, mulher dos nossos povos que tornou mestiço também Deus”.

Falando sobre a mulher na Igreja disse que ela não é apenas uma questão de função. É preciso ir mais longe, não parar “no meio da estrada" com os títulos.

"Maria é a nossa mãe, a mãe dos nossos povos, a mãe de todos nós. Ela é a mãe da Igreja, e é mãe do nosso coração. Alguns Padres dizem que o que se diz de Maria também se pode dizer da nossa alma porque a Igreja é feminina e a nossa alma tem a capacidade de receber a graça de Deus".

"Os padres da Igreja - recordou Francisco - viram-na feminina". Daí a advertência do Papa: "Quando procuramos o papel da mulher na Igreja podemos seguir o caminho da funcionalidade mas isso só nos levaria à metade da estrada. A mulher na Igreja vai além, com este princípio mariano que “maternaliza” a Igreja e a transforma na Santa Mãe Igreja. Maria mulher, Maria mãe, sem outro título essencial”.

 
Indique a um amigo
 
 
VEJA MAIS FORMAÇÕES